A importância da capacitação para sua equipe

A administração pública municipal é referência no atendimento das necessidades básicas dos cidadãos. Na gestão de bens e interesses qualificados da comunidade, no âmbito do município, deve prevalecer sempre o interesse público sobre o privado.

Neste sentido, os municípios são protagonistas de uma luta incessante na busca de recursos, tanto de pessoal qualificado como financeiros, para cumprirem tudo que a legislação traz de novo a cada dia. Os servidores públicos precisam estar bem informados e antenados com todo o processo para trazer benefícios tanto para a cidade quanto para o cidadão.

E para isso é preciso uma gestão de impacto! Com servidores capacitados em todos os segmentos e áreas que envolvem a administração pública. A capacidade para a elaboração e execução de projetos, a construção e acompanhamento de indicadores, a disponibilidade de tempo para a realização de pesquisas e estudos e, claro, o conhecimento necessário para fundamentar propostas e demonstrar sua relevância e alcance social são fundamentais para o sucesso da gestão.

Para acompanhar a evolução do mercado ou então para tornar-se um profissional com ótimo desempenho e conhecimento é primordial investir, sempre que possível, em capacitação e aperfeiçoamento de servidores. Redução de custos, diminuição na rotatividade de pessoal, maior competitividade, aumento da produtividade e maior entrosamento entre os servidores são alguns dos benefícios alcançados quando há capacitação dos servidores públicos.

Além desses pontos, é importante ressaltar que a capacitação visa direcionar o profissional para um processo de educação, reciclagem e alteração de comportamento dentro da administração. Com isso, há uma mudança em todo o processo já existente.

Por meio do treinamento profissional, o colaborador obtém conhecimento sobre as necessidades específicas do local e do setor que atua. Há uma reciclagem de informações sobre a administração pública, levando em consideração a especificidade de cada realidade.

O reforço e o desenvolvimento das habilidades dos servidores públicos, para atender as necessidades individuais e auto realização são necessárias para o bom andamento de uma gestão pública. E, para isso acontecer, cursos de capacitação são necessários para conseguir atingir essa meta.

Com um bom curso, os servidores estarão motivados no seu ambiente organizacional, assumindo novos desafios em sua vida profissional, trazendo melhorias na produtividade da organização. A partir dos treinamentos os servidores adquirem habilidades teóricas e técnicas necessárias para sua atividade profissional. Dessa maneira, os servidores públicos qualificados geram melhores resultados para a administração.

Além disso, o investimento em qualificação (capacitação e treinamento) está relacionado com a valorização dos profissionais. Eles se sentem reconhecidos e incentivados em seu trabalho e dão o melhor em suas atividades cotidianas. Consequentemente tendem a melhorar o desempenho, o que demonstra a importância desse investimento nas administração pública. Vale ressaltar que o aprendizado e a evolução no trabalho favorecem o aumento da motivação da equipe.

O Instituto Zuriel, em parceria com os Órgãos Públicos, promove treinamentos, workshops, palestras e cursos, como solução para as carências dos municípios.

Dentre os nossos cursos você encontra Licitação Avançada, Gestão e Desenvolvimento de Líderes com ênfase na Administração Pública e Logística Reversa.

Entre em contato conosco e saiba mais: (31) 3424-7725 ou Whatsapp (31) 99412-0490.

Treinamento e Formação para Pregoeiros

O pregoeiro é um dos responsáveis pela condução de licitações e contratações públicas nas seguintes modalidades: pregões presenciais e eletrônicos, leilão, registro de preços e outros.

Serenidade, razoabilidade, ética e profissionalismo são características fundamentais para o profissional. Além disso, é necessário conhecer a legislação e a utilização dos princípios e critérios de economicidade do negócio, transparência nos procedimentos e isonomia entre as partes que pretendem firmar contrato com o Poder Público.

Como a modalidade “pregão” ganhou lugar de destaque junto aos órgãos, o profissional responsável por conduzir os processos, denominado pregoeiro, possui grandes desafios para ter a sua atividade reconhecida como profissão.

Suas atribuições incluem: coordenação e acompanhamento dos trabalhos da equipe de apoio, condução do procedimento licitatório, credenciamento dos interessados, recebimento das documentações, propostas e declarações dos licitantes, conferência do pleno atendimento aos requisitos de habilitação, aceitabilidade, classificação e adjudicação do objeto do certame ao licitante vencedor.

É o pregoeiro quem faz a abertura dos processos e o julgamento, além de analisar tecnicamente qual proposta é mais vantajosa. Cabe a ele a negociação de valores visando a redução de custos, o acompanhamento dos itens, a análise dos recursos eventualmente apresentados pelos concorrentes e outras funções juntamente com a Comissão de Licitação.

Portanto, para que os processos sejam realizados como a Lei determina e a condução dos trabalhos seja de forma transparente e eficiente, a formação deste profissional deve ser conduzida corretamente, buscando atualização jurídica constante e a troca de experiências. O Instituto Zuriel oferece soluções para o desenvolvimento da atividade do pregoeiro. Profissional este que precisa estar devidamente preparado e atualizado. Elaboramos um curso de capacitação focado nesta área, pensando no melhor trabalho a ser desenvolvido, contribuindo para a formação e atualização de pregoeiros e equipe de apoio.

São abordados vários temas como, por exemplo, conceitos e evolução dos procedimentos, vantagens e desvantagens do pregão, recursos, pregão na forma eletrônica, distinção do pregão face às demais modalidades licitatórias e outros.

Acesse o site institutozuriel.com.br e saiba mais sobre o curso.

Capacitação para servidores públicos

Você sabe como contratar capacitação para servidores públicos?

 

A Zuriel, seguindo comprometimento que tem com seus clientes, seleciona alguns artigos relevantes.

 

Separamos para vocês um artigo sobre as práticas corretas de uma contratação assertiva.

 

Confira o artigo completo, publicado pelo Tribunal de Contas da União, que explica como as capacitações podem auxiliar na boa gestão.

 

http://revista.tcu.gov.br/ojs/index.php/RTCU/article/viewFile/24/21

 

Importância da Gestão Pública capacitada

Servidores públicos: a necessidade de uma capacitação em gestão pública para um atendimento de excelência ao cidadão.

O Brasil nos últimos anos teve um considerável crescimento no número de servidores públicos, em todos os Entes Federados. Especificamente no que tange aos Municípios o aumento é muito expressivo, visto que de 2001 a 2014 o percentual foi de 66,7%, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), estudo publicado em agosto de 2015. A pesquisa denominada “Perfil dos Estados e Municípios Brasileiros 2014” informa que em 2001 o país possuía 3,9 milhões de servidores públicos municipais e em 2014 cerca de 6,5 milhões.

Um dos dados coletados pelo IBGE refere-se aos municípios com mais servidores em relação à população, destacando-se o Estado de Minas Gerais, vez que contempla 03 das 05 cidades com maior proporção de funcionários públicos. Contudo, o aumento dos servidores não significou melhoria na prestação do serviço público, situação que não pode ser mantida, já que a função daqueles é atender o povo, elemento material constitutivo imprescindível do Estado.

A Constituição da República Federativa de 1988 estabelece princípios obrigatórios da administração pública, dentre eles o da eficiência, de suma importância para um serviço eficaz ao cidadão. Segundo Hely Lopes Meirelles:

Dever de eficiência é o que se impõe a todo agente público de realizar suas atribuições com presteza, perfeição e rendimento funcional. É o mais moderno princípio da função administrativa, que já não se contenta em ser desempenhada apenas com legalidade, exigindo resultados positivos para o serviço público e satisfatório atendimento das necessidades da comunidade e de seus membros. (MEIRELLES, 1997, p. 90).

Não restam dúvidas que para uma concretização do princípio da eficiência o elemento humano do Estado, qual seja o servidor público – agente político, estatutário, celetista ou de livre nomeação – precisa se atentar para a relevância da sua função, com vistas a exercê-la de forma produtiva, com o mínimo de erros e ônus para os administrados.

Para tanto, deve-se investir na capacitação daqueles que prestam serviço à população, já que a grande parte dos ocupantes de cargos públicos não possui qualificação técnica e/ou científica para a função designada. É valido destacar que tal situação se constata inclusive com servidores estatutários, vez que o conhecimento exigido nos concursos públicos nem sempre condiz com a vida profissional prática.

Assim, faz-se necessária a busca pela qualificação, com treinamento e preparo dos servidores, mediante o investimento em gestão pública, para que se alcance uma administração pública eficaz e célere, em prol de um atendimento verdadeiramente qualitativo ao cidadão.

Referência:

MEIRELLES, Hely Lopes. Direito Administrativo brasileiro. 22 ed. São Paulo: Malheiros, 1997. p. 90

 

Gabriella de Castro Vieira

Advogada e Professora Universitária. Possui graduação em Direito – Faculdades Milton Campos (2003). Atualmente é advogada da OSCIP – Movimento das Donas de Casa e Consumidoras de MG, professora do Curso de Direito da Faculdade Pitágoras de Belo Horizonte; Membro da Comissão de Defesa do Consumidor da OAB/MG e Mestranda na Escola Superior Dom Helder Câmara em Direito Ambiental e Desenvolvimento Sustentável. 

Dra. Gabriella atua também na Zuriel dando suporte e apoio em todas as nossas ações, auxiliando também na orientação das melhores práticas e aplicações da Lei para os nossos clientes e suas publicações. Quando o assunto for acompanhamento jurídico, conte conosco!

http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv94542.pdf

Servidores públicos: a necessidade de uma capacitação em gestão pública para um atendimento de excelência ao cidadão

O Brasil nos últimos anos teve um considerável crescimento no número de servidores públicos, em todos os Entes Federados. Especificamente no que tange aos Municípios o aumento é muito expressivo, visto que de 2001 a 2014 o percentual foi de 66,7%, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), estudo publicado em agosto de 2015. A pesquisa denominada “Perfil dos Estados e Municípios Brasileiros 2014” informa que em 2001 o país possuía 3,9 milhões de servidores públicos municipais e em 2014 cerca de 6,5 milhões.

Um dos dados coletados pelo IBGE refere-se aos municípios com mais servidores em relação à população, destacando-se o Estado de Minas Gerais, vez que contempla 03 das 05 cidades com maior proporção de funcionários públicos. Contudo, o aumento dos servidores não significou melhoria na prestação do serviço público, situação que não pode ser mantida, já que a função daqueles é atender o povo, elemento material constitutivo imprescindível do Estado.

A Constituição da República Federativa de 1988 estabelece princípios obrigatórios da administração pública, dentre eles o da eficiência, de suma importância para um serviço eficaz ao cidadão. Segundo Hely Lopes Meirelles:

Dever de eficiência é o que se impõe a todo agente público de realizar suas atribuições com presteza, perfeição e rendimento funcional. É o mais moderno princípio da função administrativa, que já não se contenta em ser desempenhada apenas com legalidade, exigindo resultados positivos para o serviço público e satisfatório atendimento das necessidades da comunidade e de seus membros. (MEIRELLES, 1997, p. 90).

Não restam dúvidas que para uma concretização do princípio da eficiência o elemento humano do Estado, qual seja o servidor público – agente político, estatutário, celetista ou de livre nomeação – precisa se atentar para a relevância da sua função, com vistas a exercê-la de forma produtiva, com o mínimo de erros e ônus para os administrados.

Para tanto, deve-se investir na capacitação daqueles que prestam serviço à população, já que a grande parte dos ocupantes de cargos públicos não possui qualificação técnica e/ou científica para a função designada. É valido destacar que tal situação se constata inclusive com servidores estatutários, vez que o conhecimento exigido nos concursos públicos nem sempre condiz com a vida profissional prática.

Assim, faz-se necessária a busca pela qualificação, com treinamento e preparo dos servidores, mediante o investimento em gestão pública, para que se alcance uma administração pública eficaz e célere, em prol de um atendimento verdadeiramente qualitativo ao cidadão.

Referência:

MEIRELLES, Hely Lopes. Direito Administrativo brasileiro. 22 ed. São Paulo: Malheiros, 1997. p. 90



Artigo escrito por Dra. Gabriella de Castro Vieira, parceira Jurídica da Zuriel Publicidade e Serviços

Artigo escrito por Dra. Gabriella de Castro Vieira, parceira Jurídica da Zuriel Publicidade e Serviços

Gabriella de Castro Vieira é Advogada e Professora Universitária. Possui graduação em Direito – Faculdades Milton Campos (2003). Atualmente é advogada da OSCIP – Movimento das Donas de Casa e Consumidoras de MG, professora do Curso de Direito da Faculdade Pitágoras de Belo Horizonte; Membro da Comissão de Defesa do Consumidor da OAB/MG e Mestranda na Escola Superior Dom Helder Câmara em Direito Ambiental e Desenvolvimento Sustentável. 

Dra. Gabriella atua também na Zuriel dando suporte e apoio em todas as nossas ações, auxiliando também na orientação das melhores práticas e aplicações da Lei para os nossos clientes e suas publicações. Quando o assunto for acompanhamento jurídico, conte conosco!